Pesquisar este blog

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Leitura

Atendo ao celular:
- Oi amiga... Tá boa?
- Amiiigaaa!! To bem sim, e você? O que está fazendo?
- Lendo...
- Você não disse que ia descansar?
- Sim, estou descansando.
- Mas lendo?
- É... ler me descansa.
- Você precisa distrair, desligar...
- Infantojuvenil me distrai.
- Vamos pro clube?
- Ai, preciso descansar... Não vai dar!
- Mas vai perder o dia lendo?
- Não, vou ganhar meu dia lendo...
- Credo, você é tão grossa!!!
Sem mais...











Imagens retiradas daqui ó: http://manualpraticodebonsmodosemlivrarias.blogspot.com/
O blog que não me deixa achar-me esquisita!!!

sábado, 8 de outubro de 2011

Falar por falar

Não gosto de pessoas que falam da boca pra fora. Primeiro porque odeio tautologias (ou pleonasmo, se preferirem), segundo porque acho uma falta de respeito com o interlocutor.

Tautologia sim, porque se se fala, deve ser da boca pra fora, o contrário, da boca pra dentro, não seria fala.

Meu ouvido não é pinico, já diz o ditado. Eu concordo! Não sou obrigada ouvir um 'eu te amo' desimportante, muito menos uma promessa sem fundamento.

Hoje em dia não se pode confiar mais a torto e à direita em qualquer pessoa, confio apenas nas atitudes, as ações são espelhos de sentimentos. Se ouço algo, espero que isso se realize no plano físico antes de acreditar na fala alheia. Se gosto disso? Claro que não! Mas fui obrigada a me tornar essa pessoa desconfiada.

Em dicionário de frases prontas, li que o termo falar da boca pra fora quer dizer que a pessoa falante não diz o que realmente pensa. Mais um motivo para eu não gostar desse tipo de fala, a pessoa fala sem pensar? Como é possível se o cérebro comanda tudo? Pra mim, essa explicação quer dizer que a pessoa mentiu, fala o que não acredita ser verdade.

Mas então, por que fala? Pra deixar o interlocutor feliz? Para magoar? Na minha opinião, tudo se resume em falta de respeito ao próximo e a si mesmo.

Fico triste com isso.

A verdade, valor primordial que acompanha o amor, está sendo deixada de lado, e junto disso as virtudes da amizade e da confiança. Sobre respeito então, nem comento pela falta de paciência que já estou por ouvir, acreditar e quebrar a cara (metaforicamente).

Antigamente, as pessoas davam sua palavra como acordo verbal em um pacto, juras de amor ou para qualquer outro fim. Cumpria quem tinha caráter, coisa rara hoje em dia.
 
Tento ao máximo me adequar a isso tudo e sei que você, leitor honesto e de princípios também. Sei que é difícil aos bons, e hilário aos maus ler esse texto. Mas garanto que para produzi-lo, foi bastante doloroso.

domingo, 2 de outubro de 2011

BROMANCE

É o mesmo que homosociabilidade...
Bromance é uma combinação das palavras "brother" e "romance", é um termo que foi cunhado no final dos anos 90 para designar o relacionamento íntimo entre dois homens, sem nenhuma conotação sexual, sempre sem envolver sexo, apenas a velha e boa amizade.

O exemplo clássico e real de bromance é Brad Pitt com George Cloneey, amigos inseparáveis na ficção e na vida real.

 Se você quiser se aprofundar nessa questão de uma forma leve e bem-humorada assista à comédia "Eu te Amo, Cara" (2009), dirigida por John Hamburg. Tal comédia anunciou um verdadeiro manifesto dessa tendência comportamental. O tema até ganhou um reality show na MTV americana, onde a cada episódio, um cara tenta arranjar um "melhor amigo" para curtir games, música, baladas e outras maravilhas criadas para entreter os indivíduos do sexo masculino.


Outro bromance acontece na série norte-americana Scrubs onde dois amigos e médicos: Dr John "J.D." Dorian e Dr. Christopher Turk interpretados por  Zach Israel Braff  e Donald Faison, respectivamente; são best friends e dividem casa, trabalho, mas têm namoradas e até noiva. É uma comédia esteotipada e divertida que sempre traz uma 'lição de vida' no final.

Pode parecer banal ou descontextualizado esse tema, mas o bromance não é nada novo e explica comportamentos contemporâneos.

Platão e Aristóteles
('Escola de Atenas'
 de Rafael, 1510)
Aristóteles, no ano 300 A.C., abordou o assunto. "São aqueles que desejam o verdadeiro bem de seus amigos que são os verdadeiros amigos, porque cada um ama o outro por aquilo que ele é, não pelo que ele quer que essa pessoa signifique", já dizia o filósofo grego.


Pesquisas sobre amizade e masculinidade mostram que os jovens e adolescentes estsão emocionalmente mais abertos a uma amizade íntima como seus amigos homens, seus "bros", sem preocupação de serem tachado de gays mesmo vivenciando momentos de profunda intimidade com seus colegas do mesmo sexo.
Atualmente, garotos também saem cusamigu para papear, contar o dia... Será que fazem compras juntos também?

Pode parecer uma grande forçação de barra essa história de bromance, mas muitas pessoas têm achado  esse comportamento bastante simpático, civilizado e moderno. Amigos de infância ou da atualidade, que têm alguém para contar, conversar ou passar as férias. Sem algum interesse mais íntimo, só para falar m#$%@ bêbado, tocando violão ou numa hora de fossa...
Sintetizando tudo isso em uma só palavra, bromântico!

Não é comportamento isolado, o bromance acontece no mundo todo e especialistas comportamentais debatem o tema cada vez mais. O bromance faz bem para o indíviduo pois ajuda construir valores e princípios um tanto esquecidos na pós-modernidade, como companherismo, respeito ao próximo, individualidade e amizade.




Ah sim! Agora ficou mais fácil para algumas mulheres entenderem as mensagens de madrugada, ou o "eu te amo, irmão!Beijo" no final das ligações do namorado!
:)

Read more: roulets#13: Do BROMANCE http://roulets.blogspot.com/2009/05/do-bromance.html#ixzz1ZfIzlxZz
http://www.roulets.blogspot.com
Under Creative Commons License: Attribution